Busca
Home
Quem Somos
Notícias
Tipos de Anúncios
Fale Conosco
Cidades
Barra de São João
Cascata
Casimiro de Abreu
Lumiar
Macaé
Niterói
Nova Friburgo
Petrópolis
Rio Bonito
Rio das Ostras
Sana
São Gonçalo
Silva Jardim
Seções
Academias
Acessória e Serviços
Açougues
Advogados
Agência de Receptivos
Agência de Turismo
Agropecuária
Alarmes de Segurança
Análises Clínicas
Assistência Veterinaria
Aula Particular
Auto Escola
Auto Peças
Automóveis
Bares e Choperias
Beleza,Moda e Confecção
Bicicletas
Buffet
Cabelereiros
Canis
Casas Noturnas
Celulares
Centro Médico
Chaveiros
Clínicas
Comércio de Veículos
Condomínios
Contabilidade
Contrução
Corretora de Seguros
Curso Profissionalizante
Decoração
Depósito de bebidas
Despachadoria
Distribuidora
Empréstimos Consignados
Escola
Esteticista
Estudio Tatoo
Fábrica
Farmácia
Festas e Entretenimento
Fisioterapia
Flipper
Fotografo
Grafic Design / Impresão
Gráficas
Hotéis
Imobiliaria
Imóveis
Informática
Instrumentos Musicais
Internet e Hospedagem
Lanchonetes
Lavajato
Locação de carros e Equipamentos
Locadoras
Loja de Bolsas
Loja de Departamentos
Loja de Informática
Lojas
Lotéricas
Madeireira
Manipulação e Homeopatia
Marmoraria
Mat. de Construção
Mecânico
Moda
Motéis
Oficina de Carro
Óticas
Padarias
Papelaria
Pesquisa SERASA e SPC
Pet Shop
Piscinas e Acessórios
Posto de Gasolina
Pousadas
Produtora de Eventos
Produtos de Beleza
Produtos Naturais
Provedor de Internet
Rádio
Restaurantes
Shopping
Sites
Sorveteria
Supermercados
Vidraçaria
Nova Friburgo, RJ, ganha certificado de eliminação do vírus HIV transmitido de m Bookmark e Compartilhe
Publicado em: 11-07-2017


Município faz parte de uma lista de 82 cidades que alcançaram a meta da Organização Mundial da Saúde.
Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, é um entre 27 municípios do estado do Rio de Janeiro com mais de 100 mil habitantes aptos a obter o certificado de eliminação da transmissão vertical (de mãe para filho) do vírus HIV. A cidade faz parte de uma lista de 82 municípios brasileiros que alcançaram a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de reduzir a quase zero o total de bebês soropositivos.

De acordo com Tereza Polo, coordenadora do programa DST-Aids e Hepatites Virais da secretaria de Saúde, desde 2005, nasceram 130 bebês de mães com HIV em Nova Friburgo e nenhum deles se infectou com o vírus.

A OMS considera que um país eliminou a transmissão vertical do vírus quando registra menos de dois bebês infectados para cada 100 nascidos de gestantes portadoras do HIV.

O programa DST-Aids da Secretaria Municipal de Saúde atende cerca de 700 pessoas portadoras do vírus em Nova Friburgo e na região, já que o município recebe também pacientes de outras cidades, como Bom Jardim, Trajano de Moraes, Duas Barras, entre outros. Desse total, cerca de 60% são homens e 40% mulheres.

“Conseguimos chegar a esse resultado graças ao trabalho incansável das equipes integradas, que vão, literalmente, em busca das gestantes portadoras do vírus HIV. Caso ela não nos procure, nós vamos até a casa dela, se necessário com apoio do Conselho Tutelar. Essa gestante é inserida no pré-natal do Hospital Maternidade e recebe todo o acompanhamento necessário até o bebê completar dois anos de idade”, explicou Tereza Polo.

A atuação de Nova Friburgo se destaca no cenário ruim do Rio de Janeiro. Em 2015, o estado registrou cinco casos de infecção por HIV, por 100 mil habitantes, em crianças de até 5 anos de idade - o dobro da média brasileira, de 2,5 registros por 100 mil habitantes. A capital fluminense está entre as cinco cidades do país com os piores índices, com uma taxa de detecção 6,2. As maiores taxas do Brasil estão em Roraima (8,1) e Rio Grande do Sul (5,4). Para se ter uma ideia, São Paulo registra apenas 1,3 casos por 100 mil habitantes no estado e 1,5 na capital.

A redução da transmissão vertical só é possível com profilaxia (medidas preventivas). Primeiro, é preciso detectar rapidamente se uma gestante está ou não infectada pelo HIV. Caso o resultado seja positivo, ela começa a ser medicada e, com os modernos medicamentos distribuídos gratuitamente pelo SUS, é possível tornar a carga de vírus indetectável.

Segundo informações do escritório regional da OMS, a passagem do vírus ocorre durante a gestação (35%) e no período do periparto - entre o último mês da gravidez e cinco meses após o parto (65%). Na amamentação, o risco aumenta entre 7% e 22% a cada mamada. Sem tratamento, a transmissão vertical ocorre em cerca de 25% das gestações de mulheres portadoras do HIV.

Para obter a certificação, Nova Friburgo teve que seguir parâmetros da OMS e outros definidos pelo Ministério da Saúde, como garantir que, no mínimo 95% das gestantes tenham feito quatro consultas no pré-natal, por exemplo, além do teste para HIV. A meta do Brasil é alcançar 90% do patamar estabelecido pela OMS até 2020 e chegar a 2030 tendo eliminado a transmissão vertical do HIV.

Fonte:http://g1.globo.com/rj/regiao-serrana

 

Radio Jovem Online

 

Lumiar

Sana/Publicidade

Casimiro de Abreu

Barra de São João/Publicidade

Tempo
Publicidade



Guia Serramar- Todos os Direitos Reservados.
Construção e Hospedagem: Cabreu Voip
(22) 2778-3853 ou (22) 99981-3490 VIVO / Whatsapp